Pelve

A pelve compreende os dois ossos do quadril, ou ilíacos, e o sacro/coccix. (Figura 1)

pelve1

Figura 1 – Clique para ampliar

O sacro articula-se de cada lado com os ilíacos, enquanto os ilíacos unem-se anteriormente pela sínfise púbica. Existe muito pouco movimento entre os ossos ilíacos e o sacro. A pelve comporta-se como uma unidade em todos os movimentos do corpo, que por sua vez estão intimamente relacionados aos movimentos da coluna vertebral. O peso do corpo é transmitido aos membros inferiores através da pelve, ou seja, grandes forças atuam de diversas formas e sentidos na pelve. Não é de se estranhar que essa região seja alvo constante de dores de todas as naturezas.

Quando sentados, o peso do corpo é transmitido às tuberosidades isquiáticas, enquanto que na posição ereta o peso é transmitido da pelve para os membros inferiores.

O osso ilíaco tem uma parte superior alargada e uma porção inferior com uma grande abertura, o buraco obturado. Na face externa desse osso, acima desse buraco, há uma cavidade em forma de taça, o acetábulo. Antigas taças para colocar vinagre (acetos) da época dos romanos com o mesmo formato do osso acetabular deram origem ao nome.

pelve2

Figura 2 – Clique para ampliar

 

O acetábulo tem 2 bordas, anterior e posterior e sua porção interna apresenta uma incisura, onde insere-se o ligamento redondo, também chamado ligamento da cabeça do fêmur. (Figura 2)

 

pelve3

Figura 3 – Clique para ampliar

 

A cabeça do fêmur articulando-se dentro do acetábulo dá origem a articulação do quadril. (Figura 3)

 

 

pelve4

Figura 4 – Clique para ampliar

 

Existem diferenças mecânicas entre a pelve masculina e feminina. A pelve feminina é mais larga para que possa passar o feto ao nascimento. (Figura 4)